Algumas considerações sobre a questão da transferência e da contratransferência na clínica do suicídio.

Flávio Del Matto Faria

Resumo


Nos dias atuais há suficiente conhecimento a respeito do fato de que a teoria winnicottiana do amadurecimento expandiu as possibilidades da clínica para muito além dos limites intrínsecos à técnica derivada da psicanálise tradicional. Entre muitas outras contribuições, a psicanálise encontrou nessa teoria elementos essenciais, teóricos e técnicos, para que pudesse apresentar maior efetividade no tratamento de pacientes suicidas. Por outro lado, essa efetividade tem um custo que nos é cobrado, também, na forma da exigência para que reexaminemos as questões relacionadas à transferência e à contratransferência. O objetivo deste trabalho é fazer o exame das questões relativas a esses dois conceitos no tocante à prática clínica junto aos pacientes que apresentam tendências suicidas. Parte-se do pressuposto de que tais pacientes apresentam, invariavelmente, falhas primitivas de integração, que exigirão regressão na transferência e o consequente trabalho, intenso, do analista com os elementos contratransferenciais.


Texto completo:

PDF

Referências


Fulgencio, L. Aspectos gerais da redescrição winnicottiana dos conceitos fundamentais da psicanálise freudiana, in: Psicologia USP. São Paulo, janeiro/março, 2010, 21(1), 99-125.

Loparic, Z. De Freud a Winnicott: aspectos de uma mudança paradigmática. São Paulo, Winnicott E-Print s, Vol. 5, n. 1, 2006, pp. 1-29.

Winnicott, D. W. (1988) Natureza Humana. Rio de Janeiro, Imago, 1988 (Trabalho original publicado em 1988).

Winnicott, D. W. (1994) A importância do Setting no Encontro com a Regressão na Psicanálise. In: D. Winnicott (1994/1989a), Explorações Psicanalíticas. Porto Alegre, Artmed. (trabalho originalmente publicado em 1964)

Winnicott, D. W. (2000) Formas Clínicas de Transferência. In D. Winnicott (2000/1958a), Da Pediatria à Psicanálise: obras escolhidas. Rio de Janeiro, Imago, 2000. (Trabalho original publicado em 1956a[1955])


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 2175-2834