Sade e Schopenhauer: matéria e metafísica

Eduardo Ribeiro da Fonseca

Resumo


Sade e Schopenhauer são filósofos que pensaram a matéria ao mesmo tempo em que descartaram o criacionismo. Schopenhauer pensa a matéria e suas formas no interior de sua metafísica da vontade, enquanto Sade é um materialista propriamente dito, que parte da física e leva a sua concepção de matéria às últimas consequências. Em ambos os autores, o que é inerente ao mundo material é o conflito e o desgaste, o horror e a banalidade do mal, bem como a indiferença cósmica inerente aos fenômenos que constituem o mundo. O presente artigo analisa as peculiaridades do materialismo em ambos os autores e interpreta a concepção de Sade à luz do ponto de vista schopenhaueriano.


Texto completo:

PDF

Referências


Bocca, F.V. [2014]. Le Marquis de Sade: un matérialisme aux consequénces ultimes. Revista Natureza Humana, 2014, 16(1).

Bocca, F.V. [2016]. Do Estado à Orgia – Ensaio sobre o fim do mundo. Hobbes, Locke, Condillac, La Mettrie, Sade. Curitiba: CRV, 2016.

Bocca, F.V.; Araujo, A. (Org). [2013]. La Mettrie ou A filosofia marginal do século XVIII. Curitiba: Ed. CRV, 2013.

Brandão, E. [2008]. A concepção de matéria na obra de Schopenhauer. São Paulo: Humanitas, 2008.

Darnton, R. [1991]. Edition et sédition: L’Univers de le littérature clandestine au XVIIIe siècle. Paris: Gallimard, 1991.

Frauenstadt, J. [1876]. Neue Briefe über die Schopenhauersche Philosophie. Leipzig: Brockhaus, 1876.

Jacob, M. [1999]. O mundo materialista da pornografia. In: Hunt, L. (Org.) A invenção da pornografia: Obscenidades e as origens da modernidade. 1500-1800. Traduzido por Szlak, C. 1° ed. São Paulo: Editora Hedra, 1999.

Kant, I. [2016]. Crítica da Razão Pura. Traduzido por Mattos, F.C. Petrópolis: Ed. Vozes, 2016.

La Rochefoucauld, F. [2014]. Reflexões ou Sentenças e máximas morais. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2014.

Monzani, L.R. [2011]. Desejo e prazer na Idade Moderna. Curitiba: Champagnat, 2011.

Monzani, L.R. [2013]. Sade – ou a individualidade desejante. In: Bocca, F.V.; Araujo, A. (Org.). La Mettrie ou A filosofia marginal do século XVIII. Curitiba: Ed. CRV, 2013.

Sade, M. [1966]. Ouvres Completes. Paris: Au cercle du livre précieux, 1966.

Sade, M. [2008a]. Os infortúnios da virtude. Trad. Celso Mauro Paciornik. São Paulo: Iluminuras, 2008a.

Sade, M. [2008b]. Os 120 dias de Sodoma. São Paulo: Iluminuras, 2008b.

Schopenhauer, A. [1911]. Arthur Schopenhauer Sämtliche Werke. Editado por München, P.D.; Piper, R. e Co. 10 v .

Schopenhauer, A. [2005]. O mundo como vontade e como representação. Traduzido por Barboza, J. São Paulo: UNESP, 2005.

Schopenhauer, A. [2012]. O mundo como vontade e representação: Complementos. Traduzido por Fonseca, E.R. Curitiba: UFPR, 2012.

Schopenhauer, A. [2013]. Sobre a vontade na natureza. Traduzido por Silva, G.V. Porto Alegre: L&PM, 2013.

Schopenhauer, A. [1991]. Parerga e Parlipomena. In: Schopenhauer. Coleção: Os Pensadores. Traduzido por Cacciola, M.L. São Paulo: Nova Cultural, 1991.

Schopenhauer, A. [1995]. Sobre o fundamento da moral. Traduzido por Cacciola, M.L. São Paulo: Martins Fontes, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 2175-2834