O conceito de falso self no campo educacional

sobre as dificuldades de encontrar a "si-mesmo" no processo educativo

Autores

Resumo

Este artigo parte da interrogação da capacidade da escola oferecer a possibilidade da criança ser ela própria, em sua verdadeira essência (existencial e subjetiva), durante o processo educativo. Para tanto, far-se-á uso do conceito de Winnicott de falso self, a fim de desdobrar o problema proposto. Descreve, primeiramente, a definição de falso self sob a perspectiva winnicottiana. Após isso, para enriquecer o debate, será tomado como ponto de partida, o conto de Rubem Alves (2010) intitulado “Pinóquio às avessas”. Por fim, sugere-se uma aproximação da moral da história com a ideia de Winnicott sobre o desenvolvimento saudável da personalidade do ser humano, que tem como princípio, a capacidade de vir a ser, e viver as experiências de modo significativo (e apropriado).

Biografia do Autor

Alexandre Patricio de Almeida, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

Departamento de Psicologia Clínica da PUC-SP. Área: Psicanálise. Psicanalista. Psicopedagogo. Mestre (bolsa CAPES) pelo Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica da PUC-SP. Doutorando (bolsa CNPq) pelo mesmo Programa e instituição. Professor universitário de cursos de graduação e pós-graduação. Atende em consulório particular adultos e crianças. Autor dos livros Psicanálise e educação escolar: contribuições de Melanie Klein (Zagodoni, 2018) e Intervenção psicanalítica na escola (Zagodoni, 2020). 

Publicado

2020-12-31 — Atualizado em 2020-12-31

Versões