Destrutividade, sobrevivência, subjetivação

a agressividade como potência de destruição criativa em Winnicott

Autores

  • CARLOS AUGUSTO DE OLIVEIRA Peixoto JUNIOR puc-rio

Resumo

Em Winnicott a agressividade é, antes de tudo, sinônimo de atividade e movimento. Recusando-se a interpretar sua emergência em termos essencialistas e deterministas, o autor pressupõe que, mediante a presença de um ambiente facilitador, a agressividade própria à natureza humana pode se desenvolver de maneira saudável, transformando-se em uma experiência mais integrada. Ao longo do presente artigo, pretende-se investigar como esse processo possibilita a transformação da relação com o objeto em uso do objeto, buscando ainda pensar como, através da destruição criativa, uma composição entre os aspectos da vivência subjetiva e da percepção objetiva do objeto tornam-se possíveis. Procura-se mostrar também como, a partir do advento da capacidade de concernimento - fruto da capacidade de sobrevivência do objeto destruído - se estabelece um contato mais consistente com a realidade externa, o qual leva ao pleno reconhecimento da alteridade.

Publicado

2022-06-24

Edição

Seção

Winnicott: ensaios sobre psicanálise