Afetos e subjetivação em tempos de engenharia genética

Autores

  • Érico Andrade Universidade Federal de Pernambuco

Resumo

Este artigo tenta avaliar e discutir o lugar da psicanálise diante do importante e contemporâneo debate do aperfeiçoamento moral por meio das biotecnologias. A minha hipótese é de que a acidentalidade da existência, a nossa vulnerabilidade, serve de argumento para mostrar que o aperfeiçoamento não consegue eliminar o sofrimento, nem a importância da psicanálise para lidar com ele.

Biografia do Autor

Érico Andrade, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em filosofia pela SorbonneProfessor de Filosofia UFPESócio do Círculo Psicanalítoc de Pernambuco

Publicado

2022-06-08

Edição

Seção

Artigos de fluxo contínuo